Conheça Nossa Loja Virtual!

Comprar Aqui
Marca Chácara Flor da Suissa 41 3286.4948

24.06.22

Descubra novas formas de decorar seu espaço interno com plantas e folhagens

É importante lembrar que cada planta tem um cuidado específico

Uma das maneiras de deixar seu ambiente aconchegante é investir na decoração e nada melhor do que plantas para enfeitar seu espaço! Além de trazer beleza, tê-las no ambiente deixa tudo muito mais agradável. Porém, é importante ter algumas coisas em mente antes de investir em plantas. Confira algumas dicas abaixo:

Quando pensamos em decorar o ambiente interno com plantas ou folhagens, pensamos em salas e quartos, mas é possível fazer o mesmo com sua cozinha e seu banheiro; nesses casos, é preciso escolher as plantas certas para determinado lugar.

Por exemplo, em locais mais úmidos como banheiros, é possível investir em flores como a mini-palmeiras ou bambu da sorte, que não precisam de luz direta. A jiboia, uma espécie de trepadeira, também cresce super bem sob luz indireta e gosta de lugares úmidos. Você pode colocá-la em prateleiras ou até mesmo na pia, que vai ficar linda na sua decoração! Mas atenção: se tem pets ou crianças em casa, o ideal é deixá-la fora do alcance de ambos, pois se trata de uma planta tóxica.

Para a cozinha, que é um lugar mais quente, opte por plantas que suportam mais calor, como cactos ou suculentas. Alguns até dão flores, o que confere ao espaço um ar mais arejado. O Lírio-da-Paz também é uma ótima opção, pois gosta de locais abafados e de sombra, além de ser uma planta conhecida como purificadora de ar.

Para deixar a cozinha com um ar mais moderno, você pode plantar alguns temperos de preferência, mas lembre-se de não colocar as plantas perto de fogões e geladeiras. E, para complementar a decoração da sua cozinha, você ainda pode investir em plantas como a espada de São Jorge. Essa é fácil de manter e prefere ambientes com luz indireta e temperaturas um pouco mais elevadas. Invista!

A sala é um local que oferece mais possibilidades, porque é um lugar espaçoso e arejado, e, dependendo do lugar, tem mais iluminação – algo importante de notar antes de escolher as plantas que você quer.

 

Ainda na pegada minimalista de decoração, você pode investir em plantas maiores, caso sua sala tenha espaço! Elas deixam um ar de selva urbana (urban jungle), super em alta no Pinterest, além de deixarem o ar da sua casa mais limpo, fresco e arejado. Para as salas grandes, recomendamos Palmeira Chamaedora, Pau d’água e arborea. Todas crescem mais que dois metros de altura e vão deixar sua sala aconchegante. Se a sua sala for um pouco menor, vale a pena ter a fícus elástica e fícus lirata, samambaia e/ou costela de adão. Todas precisam de uma boa drenagem e apreciam crescer à meia sombra.

É importante observar a decoração da sala ou do quarto, quais as curvas e formatos presentes nas poltronas, quadros, sofás e até nas pinturas das próprias paredes e, assim, escolher plantas que possuem o mesmo padrão para trazerem equilíbrio.

E não precisa se limitar em colocar as folhagens em superfícies baixas, é possível colocá-las suspensas e dar um ar moderno para o ambiente. Outra dica é investir em vasos transparentes ou de cores neutras, especialmente para arranjos com verdes mais vibrantes, para trazer harmonia para o espaço.

Os vasos em que essas plantas vão crescer fazem toda a diferença! Existe uma imensa variedade de cores, materiais, texturas para tudo ficar ainda mais harmônico dentro da sua decoração. E se você for o tipo de pessoa que gosta de sempre fazer uma mudança na sua casa, pode investir em cachepôs. Eles são uma espécie de capa para os vasos. Ou seja, você coloca os vasos dentro dos cachepôs e pode fazer as mudanças de uma forma mais fácil e segura para as suas plantinhas!

Última dica, mas não menos importante, é manter as plantas e folhagens longe do ar-condicionado. O aparelho retira a umidade do ar e pode prejudicar o desenvolvimento das suas flores e plantas.

17.05.22

Como manter plantas frutíferas em casa

Comer fruta do pé não é mais exclusividade para quem tem grandes espaços

Quando pensamos em plantas frutíferas, pensamos em árvores enormes e que apenas pessoas com grandes jardins ou espaços podem tê-las, mas a verdade é que é possível cultivá-las até mesmo em vasos dentro de casa. Entretanto é preciso ter paciência e luz direta para seu crescimento. Confira dicas abaixo de como manter uma planta frutífera.

A primeira dica, e mais importante, é saber qual planta se desenvolve bem em vasos, pois não são todas que podem ser cultivadas em locais compactos. Plantas frutíferas como amora, pitanga e jabuticaba crescem em ambientes menores e podem ser plantadas em casa.

O que nos leva à segunda dica: por mais que essas plantas se desenvolvam em locais pequenos, é necessária uma luz direta para que elas cresçam e produzam seus frutos. A terceira dica é entender o modelo de vaso para esse tipo de planta. Por mais que algumas espécies consigam crescer em espaços menores, não se pode utilizar qualquer um. Para manter uma planta frutífera, o vaso precisa ter, no mínimo, 20 litros com 40 centímetros de diâmetro para a árvore poder crescer e dar frutos. O vaso de cerâmica é o mais recomendado para essa espécie, pois garante umidade para as plantas, de modo similar ao solo.

Outra dica é saber os cuidados das plantas já que cada uma necessita de uma manutenção diferente. Por exemplo, as amoreiras são uma fruta coringa para cultivar, porque elas gostam de climas amenos e úmidos, mas também crescem em locais com temperatura entre 24 e 28 graus. Já as laranjeiras preferem climas mais quentes, regiões em que o inverno é mais rigoroso, os cuidados aumentam e acabam se tornando uma planta frutífera mais difícil de manter. Outra planta conhecida é a pitangueira. Mesmo preferindo climas mais quentes e úmidos, ela se adapta a todos os tipos de solo, mas é importante ser exposta à luz natural diariamente.

Outra dica importante para manter sua planta frutífera é a poda. Existem quatro tipos com objetivos diferentes para manter sua planta forte e saudável. A primeira é a poda de formação, em que o corte é feito para orientar o crescimento; a poda de limpeza, feita durante toda a vida da árvore e com o objetivo de fortalecê-la antes da colheita; a poda verde, quando é cortado o excesso de folhas e galhos para que a ventilação e a entrada de luz na árvore não sejam bloqueadas; e, por fim, temos a poda de frutificação, feita para eliminar os ramos antigos que já deram fruto no ano anterior para que, assim, novos frutos possam brotar.

A última dica, mas não a menos importante, é adubar a sua árvore a fim de que ela cresça e se desenvolva. Para que isso ocorra, você pode adubá-la em até dois momentos do ano. A primeira vez pode ser quando os botões estão se abrindo, que seria o início de seu ciclo de crescimento. Depois, apenas na primavera, mas não no outono ou inverno.

Ah! E é importante não se esquecer de aguar suas plantas, para que elas se mantenham hidratadas e saudáveis. Para saber mais sobre regas, acesse nosso artigo sobre o assunto aqui.

Categorias:

21.03.22

Cinco dicas de como regar suas suculentas

Aprenda a cuidar das plantas mais práticas e favoritas de todos

Suculentas são plantas coringa para aqueles que querem começar a investir e a decorar seu ambiente com verde, porque são práticas e requerem pouca manutenção, mas não se enganem, elas também precisam de cuidados, especialmente na hora da rega. Confirme, abaixo, algumas dicas de como regá-las.

A primeira dicaé verificar a terra antes de molhar, pois as suculentas não precisam de muitas regas durante a semana, apenas uma vez é o suficiente para mantê-las hidratadas, então, antes de molhar as plantas, veja se a terra já está muito seca. Lembre-se que muita rega é mais prejudicial do que pouca no caso dessas plantas.

A segunda dica é manter um cronograma. Você pode ter um calendário específico e marcar os dias que você regou e até a quantidade de água que usou. Essa dica é importante, especialmente, se for uma muda de suculenta que ainda está se desenvolvendo – mas não precisa ficar preso a essas datas.

A terceira dica é regar completamente o solo até ficar empapado. As suculentas aguentam longos períodos sem água, isso por conta de suas raízes e talos grossos que armazenam quantidades de água muito maiores que plantas normais. Então, o certo é regar poucas vezes na semana, mas em bastante quantidade. Porém, cuidado para não afogar a planta, molhar excessivamente pode causar danos a ela.

O que nos leva para a quarta dica: é preciso ter um vaso com furos para a drenagem. A suculenta precisa ser plantada em um vaso apropriado com furos para água escorrer, senão a quantidade de água pode apodrecer as raízes ou acabar afogando a planta.

Quinta dica: não usar borrifador para regar a suculenta. Como citado anteriormente, ela gosta de muita água para se manter hidratada, e o borrifador não vai providenciar a quantidade que ela precisa, por isso o ideal é um regador pequeno com um bico bastante longo, que alcance o solo para a água penetrar melhor.

Outra coisa para se ter em mente é que existem diversas espécies de suculentas e, por mais que as regras para se regar sejam as mesmas, cada uma precisa de um cuidado específico, por exemplo, algumas vão precisar de mais água que outras.

Lembre-se que o ambiente em que a suculenta estiver influencia muito a rega. Por exemplo, conforme o clima vai mudando de quente para mais úmido, os cuidados também mudam. Se estiver um clima mais quente, geralmente será necessário hidratar mais de uma vez por semana. No entanto, se o tempo estiver frio e úmido, regar uma vez na semana é o suficiente. Por isso é sempre importante ver se a terra está bem seca antes de molhar novamente.

Por último, é bom lembrar de regar a terra, e não as folhas, para não atrair fungos, a não ser que esteja usando as folhas das suculentas para propagar. Nesse caso, não há problema em usar um borrifador para molhar as folhas e o solo.  

Categorias:

27.01.22

Descubra o melhor horário para regar as suas plantas

É importante lembrar que a rega é sempre feita na raiz e não nas folhas

Uma das coisas mais importantes quando se adquire uma planta são os cuidados com ela, especialmente quando se trata de regá-la. Existem certos horários que são mais adequados aguar sua planta para que ela se mantenha bonita e saudável. Confira algumas dicas abaixo:

De modo geral, o certo é regar as plantas na parte da manhã, isso porque durante esse período a planta está com os poros abertos e consegue absorver melhor a água. É recomendado também no final da tarde, pois com o sol mais baixo e o solo fresco, a água pode penetrar melhor no solo.

Nos horários mais quentes, a planta fecha seus poros, assim ela não perde água, mas consequentemente não absorve. Porém, se o único horário que você tem disponível para regar é nesses horários, é melhor regar do que não molhar suas plantas.

Entretanto, é importante não deixar para muito tarde, regar durante a noite pode ser um problema, porque a água pode não evaporar o suficiente e uma atmosfera muito úmida para as plantas pode atrair fungos, bolor e mofo, sem contar que pode atrair lesmas e caracóis, que podem prejudicar as suas plantas e o seu jardim.

Outra coisa a se levar em consideração é o tipo de planta. Algumas necessitam de mais água enquanto outras não precisam de tanta rega, mas sempre tenha em mente que a rega deve ser feita no solo da planta e não nas folhas, pois a umidade também pode causar fungo. É comum as pessoas borrifarem água nas folhas, mas é preciso cuidado para não exagerar.

Para uma planta crescer bem, a raiz dela precisa de água e ar, por isso é importante evitar afogar suas plantas e dar espaço para o liquido evaporar. Antes de regar verifique como está o solo, se está úmido ou não para evitar excesso de água e o apodrecimento da raiz.

Durante o clima muito quente, dependendo da planta, é bom aguar duas vezes, sendo uma de manhã e outra no final da tarde, mas é importante lembrar que plantas não gostam de ficar úmidas o tempo todo, por isso mesmo no calor, é necessário deixar o solo secar. Já no inverno, as plantas perdem menos água, então não é preciso uma rega diária como nos dias mais quentes. Outro fator que também deve ser considerado é o tipo de vaso – os que são de vidro ou plástico retém mais a água, então verificar o solo antes da rega é essencial.

Outro detalhe que poucos sabem, é que mesmo após uma noite de chuva, é necessário verificar se o solo das plantas está úmido, se não tiver, é necessário regar em seguida.

Mesmo com essas regras é sempre bom lembrar que para cada planta precisa de uma rega diferente, algumas gostam mais de água e enquanto outras não precisam de tanta manutenção, por isso é importante ler sobre cada uma delas.

Isso vale tanto para um jardim de folhas verdes, como para um de flores e temperos.

Categorias:

12.01.22

As tendências para 2022 na decoração com plantas

Saiba quais as flores que estarão em alta para o novo ano que se inicia

Por conta da covid-19 e o confinamento, muitas pessoas começaram a investir em plantas para se sentirem próximas da natureza, e muitas delas, se tornaram queridinhas e vão continuar tendência para o próximo ano. Confira as plantas e flores que se tornaram presente na decoração em 2022:

Folhagens verdes: as plantas de baixa manutenção chegaram para ficar. Para aqueles que preferem decorar o ambiente com folhas em vez de flores, algumas delas estarão em alta esse ano, como a Costela-de-adão, que prefere luz indireta e duas a três regas por semana; outra planta é a Zamioculca, que não gosta de luz direta e também prefere duas a três regas por semana; Asplênio também é outra planta que segue com a mesma rotina de cuidado.

Caso queira investir em folhagens, mas não quer abrir mão das cores, Calatheas é uma ótima opção. Suas grandes folhas vêm nas cores rubi e verde. Essa planta gosta de locais de meia sombra.

Flores secas: é mais uma tendência que deve continuar no próximo ano. As flores desidratadas são ótimas para aqueles que preferem decorar a casa com tons mais terrosos. Elas também estarão em alta na decoração em casamentos e eventos. Em arranjos, poderão ser combinadas com ervas aromáticas, como lavanda ou alecrim.

Suportes: Diversos vasos e suportes para plantas serão tendência. Dos mais simples até os modelos de metal. É possível colocar os vasos em diferentes alturas para deixar o ambiente mais moderno.

Outra opção são as mudas de plantas em vasos transparentes para expor suas raízes, o que deixa o ambiente mais delicado.

Plantas grandes: o termo “urban jungle”, em tradução livre, “selva urbana” é uma tendência que também chegou para ficar. Cada vez mais pessoas começaram a investir em plantas maiores com o intuito de deixar o ambiente mais vivo e também para ficarem mais próximos da natureza. O lado bom dessas plantas é que elas também são de fácil cuidado.

Um exemplo, é a Ciclanto, uma planta bem grande com folhas largas, ideal para uma ambiente meia sombra. Outra planta é a Cróton, que com suas folhas coloridas pode chegar até três metros de altura, e em locais internos, é necessário regar apenas uma vez por semana. Ela se adapta melhor em lugares com meia sombra.

Cacto também é outra alternativa. É comum de vê-los sendo comercializados em tamanhos menores, mas existem diferentes tipos e alguns deles podem chegar até um metro e meio de altura. Outra opção é a Palmeira-Leque, que é uma planta com folhas grandes plissadas e pode chegar até dois metros de altura. Ela se adapta melhor em locais iluminados, mas precisa de rega regularmente.

E por último, a samambaia, uma ótima escolha, pois é uma planta versátil, sendo cultivada em jardins verticais ou até suspensa. Ela vem em diversos tamanhos, gosta de iluminação e deve ser plantada em meia sombra.

Lembrando que ter sua própria horta com seus temperos favoritos e cultivar algumas suculentas nunca sai de moda.

Categorias:

30.11.21

Primavera: confira como decorar seu ambiente na estação das flores

Existem diferentes tipos de plantas e cores que podem dar vida ao seu espaço

Com a entrada de uma nova estação, a vontade de inovar também aparece. Então, nada melhor que decorar seu espaço com diferentes plantas e flores.

Normalmente, muitas flores começam a desabrochar nessa época do ano. Não é à toa que a primavera é conhecida como a estação das flores. É possível encontrar diferentes formas de inserir as plantas no seu ambiente e uma delas é o jardim indoor.

O jardim indoor, ou seja, no interior da casa ou do apartamento, é uma opção para aqueles que querem renovar o seu local de uma forma mais criativa. O charme dele é a possibilidade ser compacto e trazer um ar inovador ao seu ambiente.

Confira algumas dicas de flores e plantas que remetem a essa estação tão alegre!

Se você gosta de decorações mais coloridas e vibrantes, o girassol é uma ótima escolha. É uma flor grande e suas pétalas amarelas chamam a atenção de qualquer um. Ela é conhecida como a planta do sol, pois seu caule gira para se posicionar em direção a ele. O girassol precisa de sol todos os dias, assim como de rega.

Outra planta conhecida por amar o sol é a margarida. É uma flor mais delicada, para quem quer uma decoração mais minimalista. É possível cultivá-la em jardins dentro e fora de casa, mas é preciso luz natural para o desenvolvimento das flores.

Outra flor conhecida pelas suas cores é a lavanda. Suas pequenas pétalas roxas e suas folhas delicadas carregam um aroma que traz tranquilidade para seu ambiente. A lavanda também é conhecida como a planta do sol, pois tem um mecanismo para saber quais dias do ano são mais longos, e assim ela absorve o máximo de claridade possível.

Caso você queira investir em flores, mas busca cores mais terrosas como mostarda, marrom ou verde-musgo, uma opção são as flores secas. É possível encontrá-las prontas em floriculturas e fazer arranjos lindos para colocar em vasos na sala ou no quarto.

Outra alternativa para você que quer decorar sua casa mas não gostaria de investir em um jardim indoor é escolher algumas plantas e colocá-las em locais específicos, o que pode trazer charme e leveza ao ambiente. Uma opção é a samambaia, perfeita para dentro de casa, pois é uma planta que prefere locais mais

à sombra. Suas folhas grandes e pendentes fazem dela uma planta versátil na hora da decoração, pois pode ser colocada em diversos locais altos na casa.

Outra opção é a espada-de-são-jorge, que, além de ter baixa manutenção, tem vários tipos, tamanhos e cores, sendo perfeita para qualquer ambiente. Ela também é conhecida como uma planta de proteção e muitos indicam deixá-la atrás da porta para afastar as energias negativas.

Em todos esses casos, é possível investir em diferentes tamanhos e formatos de vasos, o que vai deixar o seu local mais criativo e moderno.

Categorias:

28.10.21

Descubra quais as melhores plantas para seu tipo de jardim

O que não falta é variedade para decorar o seu espaço

Se você está pensando em começar um jardim ou renovar o espaço que você já tem em casa, mas está em dúvida sobre quais plantas escolher, saiba que isso é normal. Antes de começar, é preciso ter algumas coisas em mente.

Primeiro, é preciso observar o local que planeja começar o jardim, se é um lugar que bate sol ou não, esse é um fator essencial para escolher as plantas. Também é importante saber se terá tempo para cultivar as plantas ou se prefere as de pouca manutenção. Outro fator a levar em consideração, é se você tem animais em casa, pois algumas plantas podem ser tóxicas para os bichinhos.

Atualmente existem diferentes plantas para todo o tipo de ambiente. Confira alguns exemplos.

Flor-de-Mel: Essa flor dará um toque especial em seu jardim, ela é conhecida por seu aroma de mel e por suas pequenas e delicadas pétalas brancas – é possível encontrar em outras cores também. Porém, é uma planta que precisa de solo úmido e de quatro horas de sol por dia.

Cravo: É outra opção atraente que pode dar vida ao seu jardim. Ela é conhecida por suas cores e se adapta em diferentes ambientes, mas é necessárias quatro horas de sol por dia, especialmente pela manhã, para poder florir. É importante ficar atento ao solo, é uma planta que não gosta de terra encharcada, é necessária uma boa drenagem para ela se manter saudável.

Lavanda: É outra planta conhecida pelo seu aroma e não é por acaso que tem o óleo essencial mais conhecido no mundo. É uma flor que gosta de sol, é resistente a períodos de seca e de geada e sua rega é feita esporadicamente.

Não podemos esquecer das suculentas, que são muito conhecidas atualmente e possuem baixa-manutenção, pois gostam de luz direta, mas não precisam de muita rega. Elas possuem diferentes tamanhos e formatos, o que pode ser divertido na hora de escolher e montar seu jardim. Os cactos também são uma ótima opção para quem procura plantas de baixa manutenção. Eles também são da família das suculentas, gostam de luz direta e não precisam de muita água, pois são naturalmente de regiões desérticas.

Caso o local que decida montar seu jardim não bata luz direta, não será um problema, pois existem muitas flores que preferem ambientes longes do sol. Um exemplo é a Antúrio, que prefere luz indireta do sol, mas muita água. Violeta também é uma ótima alternativa, ela precisa de luz indireta, pois o sol queima suas folhas. Orquídea também é uma planta que prefere iluminação indireta e rega apenas se o solo estiver seco para não apodrecer a raiz.

Caso queira dar um ar mais criativo, é possível complementar com alguns temperos como tomilho, manjericão, hortelã ou alecrim, que são muito aromáticos e dariam um toque diferente para o paisagismo do seu jardim, e ainda por cima, terá produtos orgânicos para a sua cozinha.

Categorias:

23.09.21

Terapia da jardinagem

O jardim normalmente tem como objetivo principal deixar a casa mais bonita e valorizada, entretanto ele pode trazer outros benefícios para você e principalmente para sua saúde.

A jardinagem amadora é muito usada como terapia, combatendo o grande vilão da nossa geração, o estresse. Colocar as mãos na terra e ver as flores e plantas desenvolvendo trazem prazer e um benefício inestimável arpa nossa saúde.

Além disso, pesquisas confirmam que pessoas que lidam com jardinagem são mais felizes, calmas, mais gentis e tem uma recuperação mais rápida em situações difíceis, como perda de entes queridos ou doenças.

Ter flores para colher e presentear quem amamos, traz felicidade a pessoas presenteada e satisfação aquele que presenteou.

Possuir também uma horta ou um pomar também pode gerar grandes benefícios para nossa saúde, além de cuidar das plantas trazer relaxamento, você terá frutas, verduras e temperos sempre frescos e livre de agrotóxicos na sua mesa.

Pratique jardinagem, você irá se apaixonar.

Categorias:

10.08.21

Como ter frutíferas em vaso

Não há experiência mais agradável do que colher uma fruta direto do pé e comê-la. Mas hoje os terrenos estão cada vez menores e não sobra mais espaço para aquela frondosa frutífera que sua vó tinha em seu quintal.

Saiba que com os cuidados adequados podemos ter muitas frutas, mesmo em um modesto apartamento, seguindo as dicas a seguir:

  1. Escolha da espécie: Nem todas as espécies conseguem se desenvolver em vasos, embora o leque de opções não seja tão pequeno assim. Espécies como Jabuticaba, Pitanga, Uvaia, Romã, Acerola, Figo, Mirtilo, Amora, Pêssego, a grande maioria das cítricas podem ser plantadas em vasos. Até frutíferas trepadeiras, como uva ou maracujá podem produzir bem em vasos, desde que tenham suporte adequado em treliças.
  2. Escolha do Vaso: Quanto maior o vaso, mais se desenvolverá sua frutífera. Opte por vasos grandes, de no mínimo 60L. Não esqueça de fazer a drenagem adequada no fundo do vaso com argila expandida e manta de bidim.
  3. Substrato: Usar um substrato bem drenado e com boa retenção de água e nutrientes é importante para qualquer planta em vaso. O substrato Forth Condicionador Floreiras, vendido em sacos de 20Kg, atende todos esses requisitos.
  4. Luminosidade: É necessário que a sua frutífera tome pelo menos 6 horas de sol por dia, portanto escolha um local adequado para plantá-la, em varandas, sacadas ou, se dentro de casa, próximo de janelas bem grandes.
  5. Rega: Frutíferas em vaso precisam de muita rega para produzirem bem, de duas a três vezes por semana. Algumas espécies mais exigentes, como a jabuticaba e a pitanga requerem regas diárias.
  6. Adubação: Em um vaso a planta não consegue buscar todos os nutrientes que precisa para frutificar, por isso é necessária a adubação frequente para repor esses nutrientes. Um dos adubos que pode ser utilizado é o Forth Frutas, a cada 15 dias, diluindo 10g de adubo a cada 1L de água.

22.07.21

Como adubar minhas orquídeas

As Orquídeas têm algumas características específicas diferentes da maioria das outras plantas, o que requer também alguns cuidados específicos, e explica um pouco a dificuldade muitas vezes das pessoas em cuidar delas e fazê-las florescerem pela segunda vez após a compra. Mas com alguns cuidados sem qualquer dificuldade e nem muito trabalhosos, é possível fazê-las desenvolverem e florescerem cada vez com ainda mais abundância, só é necessária informação e atenção. Em alguns artigos aqui no site da Flor da Suissa trabalharemos esses cuidados, iniciando pelo tema adubação.

            As Orquídeas em sua grande maioria (as exceções mais comuns são os gêneros Arundina, Paphiopedilum, Cymbidium e Epidendrum) são plantas epífitas, ou seja o habitat natural delas é apoiadas em árvores. As raízes das orquídeas são próprias para se prender em árvores e ficar expostas, mas nesse ambiente elas têm muito menos acesso aos nutrientes do que se estivessem no solo. Por causa disso as orquídeas tem uma característica de que a folha é responsável também por boa parte da absorção destes nutrientes.

            Por causa desta característica, a adubação ideal das orquídeas é a adubação foliar. Existe uma grande diversidade de adubos foliares específicos para orquídeas, mas em todos estes esse adubo é dissolvido em água conforme especificado na embalagem e pulverizado nas folhas com borrifador para formar uma “névoa”. A marca mais recomendada é o Forth Peters, com aplicação semanal.

            Se não há a disponibilidade de se realizar essa adubação foliar, por ela ser mais constante, uma alternativa é a utilização dos adubos encapsulados. Estes são os mais eficientes para os gêneros de solo, e mesmo para as epífitas apresenta bons resultados. Se tratam de adubos dentro de pequenas capsulas esféricas que liberam esse adubo aos poucos, que devem ser colocados no vaso da orquídea e tem durabilidade de 3-4 meses. A marca do produto é o Forth Cotê, vendido em embalagens de 400g.

            Todos esses produtos mencionados e muito mais você encontra na Flor da Suissa. Faça uma visita.

25.06.21

Conheça a planta que melhor filtra o ar da casa!

No interior de nossas casas e trabalhos estamos constantemente expostos a uma série de toxinas que são classificadas como COV’s (compostos orgânicos voláteis). Essas moléculas se desprendem de tintas, vernizes, móveis, etc… e se acumulam no ar que respiramos dentro desses ambientes, e segundo muitos especialistas são um dos responsáveis do aumento de algumas doenças no nosso tempo, como cânceres e doenças pulmonares.

            Segundo pesquisa da NASA, junto com a ALCA, a palmeira Chamaedora (Chamaedora seifrizzi) tem a capacidade de filtrar grande parte desses compostos, como formaldeídos, toluenos e dimetilbenzenos. Além disso, ela aumenta a umidade no ar, o que ajuda muito a evitar problemas respiratórios.

            A Palmeira Chamaedora é uma planta indicada para ambientes de meia-sombra (até 3 horas de sol por dia) e sombra com boa luminosidade e se adapta muito bem em vasos. O tamanho dela varia de acordo com o vaso onde está colocado, desde 25cm até 1,8 metros. É uma ótima opção para se colocar desde um vasinho sobre uma mesa de escritório, até em um belo vaso vietnamita em uma sala de estar.

13.05.21

Como podar meu jardim

Podemos ter um jardim muito mais bonito e saudável se realizarmos podas regulares em nossas plantas. Porém alguns critérios importantes devem ser considerados quando realizamos as podas.

            Na maioria das plantas a melhor época para realizar a poda é no final do outono ou no inverno, pois a maioria das plantas entra em um período de dormência nessa época, fazendo com que a planta não perca muita energia com a poda. A fase da lua é outro fator importante na hora de realizar a poda, a fase minguante é quando a planta perde menos seiva, por isso é a melhor fase para a poda. Outro fator importante é procurar podar logo após a floração, permitindo que a próxima florada não seja afetada.

            Os arbustos são bastante resistentes à poda, permitindo podas frequentes. Por isso elas podem servir como topiarias (plantas moldadas em formatos, normalmente bola) e cercas vivas. Os exemplos de arbustos mais comuns são o buxinho, azaleia, hibisco e podocarpo.

            As árvores também são resistentes à poda, elas ficam muito mais fortes e resistentes se fizermos podas estratégicas, como retirada de galhos mortos ou doentes, ou a retirada de galhos concorrentes, ou seja, aqueles galhos que estão muito próximos ou enroscando em outros. Isso serve também para árvores frutíferas, que em alguns casos galhos novos tem uma produtividade maior.

            As trepadeiras devem ser conduzidas e podem ser podadas para limitar o seu tamanho, elas resistem muito bem às podas e podem ser podadas frequentemente. Exemplos de trepadeiras são glicínia, primavera, sapatinho de judia e roseira trepadeira.